Carregando

Carregando - Soprano

Cotação

0

Solicitação de Orçamento

Você adicionou um item à sua solicitação de orçamento:

Adicione itens para continuar.


Resumo da sua solicitação de orçamento


Qtd. Produto Código

Quase lá! Informe seus dados para finalizar a solicitação:


Sua solicitação foi enviada com sucesso!

Fique atento ao seu e-mail, em breve você receberá o retorno do seu orçamento.

Casa

Segurança e Proteção

Tecnologia

Fechadura eletrônica, fechadura elétrica e fechadura digital: existe diferença?

Saiba qual a diferença entre fechadura eletrônica, elétrica e digital e descubra as funcionalidades e benefícios dessa tecnologia de segurança para a sua casa ou empresa. 


A fechadura eletrônica é uma ferramenta inteligente, evolutiva e com diferentes recursos para levar mais proteção ao ambiente. Além disso, evita o transtorno de ficar trancado do lado de fora por ter esquecido ou perdido as chaves.


Investir na proteção do lar segue como uma das prioridades para o consumidor. Até porque é na nossa casa que passamos grande parte do dia e onde estão as pessoas que mais amamos. E essa proteção passa pela segurança das portas. 


Mais modernas e versáteis, as fechaduras digitais já existem há algum tempo no mercado e são facilmente encontradas em empresas e hotéis. Mas elas estão sendo cada vez mais exploradas também em casas, apartamentos e condomínios. Ou seja, é demanda que vem surgindo e oportunidade de diversificar o mix de produtos da sua loja. 


Há diferentes opções de desbloqueio, seja por biometria, cartão ou até mesmo pelo smartphone – oferecendo segurança e um visual bonito. 


Mas você já deve ter se perguntado sobre qual a diferença entre fechadura eletrônica, fechadura elétrica ou fechadura digital. 


Pensando nisso, a Soprano fez uma lista com as principais dúvidas sobre o tema. Confira!


O que é fechadura eletrônica?


Você é a sua própria chave. Esse é o conceito de facilidade de uma fechadura eletrônica, que dispensa o uso das tradicionais chaves e também das fechaduras mecânicas. 


Mais prática e visualmente mais atraente, a fechadura eletrônica é uma ferramenta onde é possível abrir portas - tanto comuns como de armários -, além de gavetas, por meio de senhas, tag (ou chaveiro) de proximidade, aplicativo de celular ou autenticação biométrica. Ao menos que você esqueça a senha, a chance de ficar trancado para fora de casa é praticamente zero. 


Outra facilidade é que as senhas podem ser compartilhadas com parentes e amigos próximos. Isso elimina a necessidade de fazer cópias de chaves para que essas pessoas entrem na sua casa ou empresa. E também é possível trocar as senhas cadastradas, o que garante o controle total do proprietário sobre quem pode acessar o ambiente. 


Somado a isso, em caso de arrombamento, alguns modelos disponíveis no mercado emitem um sinal sonoro para informar se alguém está tentando entrar no ambiente. Esse alerta será acionado se a senha for errada após diversas tentativas. 


Outra importante vantagem da fechadura eletrônica é o fechamento automático. Dessa forma, não há mais o problema de esquecer a porta aberta. O sistema possui um dispositivo que trava automaticamente assim que se bate à porta. 


Essa é uma das funções mais importantes para a segurança de condomínios, por exemplo, onde a circulação de pessoas é frequente e os riscos de esquecimento de portas e portões abertos é maior. Mas o produto é indicado também para utilização em locais com alta rotatividade de pessoas, como vestiários de empresas, bibliotecas e academias.


O que é fechadura elétrica?


Apesar de nomes semelhantes, são produtos bem diferentes, tanto na funcionalidade como na operação, e que você precisa ficar atento para identificá-los. 


A fechadura elétrica depende apenas de um controle por meio de um único botão de acionamento para sua abertura. Geralmente a porta é aberta a distância, em muitos casos por um porteiro, após a identificação do visitante através de um interfone. 


Como o próprio nome indica, está ligada à energia elétrica. Ela emite um som bem característicos, que indica a permissão para abri-la. 


Seu funcionamento se dá por uma bobina elétrica (chamada de solenoide) que, ao ser percorrido por uma corrente elétrica, transforma-se em um eletro imã, atraindo a lingueta de ferro, e abrindo a porta. O fechamento é através de uma mola que empurra a lingueta ao fechar a porta. 


Resumindo: é uma versão mais simples em relação à eletrônica – que você viu mais acima, é caracterizada por permitir o acesso por meio de senhas, cartões, aplicativo ou biometria. 


Fechadura eletrônica e fechadura digital: qual a diferença?


E qual a diferença entre fechadura eletrônica e fechadura digital? Nenhuma. 


Neste caso, é apenas uma questão de nome. São praticamente sinônimos. Alguns locais você pode encontrar o termo “fechadura eletrônica” e, em outros, “fechadura digital”. Os produtos possuem as mesmas funcionalidades e benefícios. 


Ou seja, o passo a passo que você lerá aqui vale tanto para fechaduras eletrônicas como fechaduras digitais. Mas não vale para as fechaduras elétricas, como a gente explicou mais acima. 


Fechadura eletrônica: como funciona?


De uma maneira ampla, dependendo do modelo, a fechadura eletrônica conta com uma lingueta que avança em direção ao batente. Se nas versões comuns essa tranca é provocada a girar o miolo da fechadura com uma chave, na versão eletrônica ele é ativado automaticamente pelo mecanismo da fechadura após a autenticação. 


Essa é a grande vantagem do produto. Além de evitar que não se possa entrar em casa ou abrir um armário, por exemplo, a fechadura eletrônica é garantia de mais segurança em relação às fechaduras tradicionais. 


Isso porque que não há um miolo de chave que permita a utilização de uma chave micha ou outro equipamento do gênero que permita a sua abertura sem autorização. Segundo especialistas, nem com uma chave micha seria possível abrir uma porta que tenha uma fechadura digital.


E é justamente pela segurança que muitas pessoas têm optado por esse investimento. Até porque, infelizmente, existem centenas de vídeos na internet que mostram como o arrombamento de fechaduras tradicionais é fácil de ser feito. 


Nem mesmo o reforço com a chave tetra é garantia de proteção, podendo ser violada com facilidade. Por esse motivo que a fechadura tradicional é indicada apenas nas portas internas da casa, como os quartos, que não dependem de um sistema forte de segurança. 


Quais os modelos de fechadura eletrônica?


Existem no mercado diferentes modelos de fechadura eletrônica. Alguns deles permitem que os usuários configurem dois ou mais sistemas de segurança ao mesmo tempo. Ou seja, é possível acionar biometria e senha, até achar o método mais adequado para o ambiente, por exemplo. 


Tudo isso, é claro, pensando no bem-estar das pessoas e no fornecimento de produtos de qualidade, testados e com garantia. As acionadas por meio de senha ou biometria são as mais tradicionais. 

Saiba mais sobre elas:


● Senha: 


É um dos modelos mais utilizados no mercado. A porta é destravada por meio de uma senha numérica. Os sistemas permitem que existam combinações individuais ou coletivas – alguns modelos possuem milhares de combinações possíveis de 3 a 20 dígitos. Para garantir a segurança e evitar que alguém descubra a senha, pode ser que os números da tela touch screen mudem de ordem toda vez que a sequência for digitada. 


Há modelos com opção de senha no modo público, uma espécie de senha temporária que pode ser utilizada somente uma vez. E também a opção senha falsa, uma tecnologia antirroubo que permite inserir qualquer código antes ou depois da senha real evitando que a mesma seja descoberta. É uma boa opção para residências e ambientes com circulação média, como prédios e condomínios, mas pode não representar uma facilidade para quem costuma esquecer senhas com facilidade. 


● Biometria: 


Assim como diversos smartphones ou caixas eletrônicos no banco, o desbloqueio da porta é feito por meio da digital. Alguns modelos permitem o armazenamento de até 100 biometrias. Trata-se de uma das principais referências de segurança no setor, por isso é indicada para ambientes residenciais e até mesmo para ambientes de grandes empresas. Normalmente, os sistemas também permitem o acesso por meio de senhas. 


● Aplicativo: 


Que tal abrir a porta sem sair do sofá? Isso é possível em uma fechadura eletrônica onde a gestão delas é feita por meio de um aplicativo no seu smartphone. Além disso, há sistemas disponíveis no mercado que emitem um relatório com todas as informações de entrada e saídas da casa, empresa ou apartamento. 


Além disso, ele possibilita a criação de chaves virtuais, que podem, ainda, ter restrições de uso de acordo com o horário e o dia da semana desejados. As chaves virtuais que você cria também podem ser enviadas à distância para outras pessoas. Dessa forma, é possível o controle de quais pessoas têm acesso ao seu lar.


● Tag (ou chaveiro) de proximidade: 


Neste modelo, as portas são destravadas com o auxílio de um acessório, chamado de tag ou chaveiro de proximidade. Ela deve ser aproximada a uma tela disponível na fechadura. Apesar de ser simples, exige que a pessoa esteja sempre com este acessório para acesso ao ambiente. Acaba tendo a mesma função que uma chave em uma fechadura tradicional. 


● Cartão: 


É um modelo bastante tradicional em hotéis, escritórios ou ambientes compartilhados com bastante fluxo de pessoas. A fechadura eletrônica é destravada quando um cartão magnético previamente configurado é aproximado ou inserido na fechadura, como os cartões de crédito nas maquininhas. 


É válido destacar que a segurança do equipamento também evita ação de hackers. Isso porque toda a programação é feita diretamente nas fechaduras, evitando que elas estejam interligadas a uma rede.



Fechadura eletrônica: entenda como instalar


Agora que você já conhece o que é uma fechadura eletrônica, como ela funciona e quais os diferentes modelos disponíveis no mercado, é preciso que você saiba como é o processo de instalação. Dependendo do equipamento que você escolher, esse processo é bastante simples. 

Separamos algumas dúvidas sobre o tema. 


● Vou precisar trocar a minha fechadura convencional?


Nem sempre. Existem modelos no mercado onde não é necessário trocar a fechadura original porque podem ser instaladas em diferentes alturas da porta. Esses são os modelos de sobrepor, onde o trinco de fechamento fica exposto do lado de dentro da porta. Nesse caso, é necessário apenas fazer um furo redondo no objeto. É um dos modelos mais fáceis de serem instalados. 


Mas existem modelos que são embutidos na porta. Essas, sim, precisam que a fechadura original seja retirada para que a fechadura digital possa ser instalada. Todo o mecanismo fica no interior da porta, similar ao modelo convencional de fechadura. Por isso, a instalação é um pouco mais complexa e demanda mão-de-obra especializada. Esse modelo é exclusivo para portas com espessuras maior, como as de madeira e de aço, que varia entre 35 e 50 mm. 


● Vou ter que trocar de porta para ter uma fechadura eletrônica?


Não. Neste caso, são as fechaduras eletrônicas que precisarão corresponder à porta que você tem na sua casa ou empresa. Os modelos de sobrepor são indicados para portas de madeira com espessura entre 25 e 50 mm. Já as versões embutidas correspondem para portas com 35 a 55 mm de espessura.

 

● Eu mesmo posso fazer a instalação da fechadura eletrônica?


Em muitos casos, sim. Ao adquirir um produto como esse, um guia de instalação acompanha para orientações. Ali todas as informações para instalação do equipamento são explicadas de maneira prática, ilustrada e sem estresse. Caso você precise, um técnico especializado por fazer a instalação também. 


● Quero instalar. Como devo fazer?


Vamos mostrar um passo a passo bastante simples do modelo de sobrepor em uma porta de madeira. Lembrando que todos os itens, como parafusos e pilhas, por exemplo acompanham o produto. 


É possível instalar a fechadura eletrônica em portas que abrem para dentro e para fora, com maçaneta/puxador na esquerda e na direita. 


Posicione-se dentro de sua casa, apartamento ou escritório e verifique o lado da maçaneta/puxador. Verifique também se a porta abre para dentro ou para fora. Isso lhe ajudará a definir o tipo de instalação da sua fechadura digital.


Nas portas que abrem para dentro ou para fora, você deve iniciar a instalação pelo lado interno da porta. A recomendação é fazer a instalação logo acima do puxador ou maçaneta. Após, a orientação é marcar a posição do furo a 38mm da borda da porta que abre para dentro e 60mm para portas que abrem para fora. Em ambos os casos, faça o furo de Ø45mm utilizando uma serra copo. 


Dica importante: antes de montar o produto, verifique se os acabamentos e/ou vista/guarnição da porta prejudicam a instalação. Pegue a unidade interna e projete a lingueta utilizando a manopla. Coloque-a sobre o local de instalação, acompanhada do batente.


Em seguida, posicione a base interna da fechadura no lado interno da porta sobre o furo de Ø45mm. Para fixar a base, utilize quatro parafusos Ø4,2 x 19mm. Após, passe o cabo da unidade externa pela base de fixação. Fixe a unidade externa utilizando dois parafusos M5. Escolha o parafuso adequado à espessura da porta (parafuso mais longo ou mais curto). Encaixe o conector da unidade externa na unidade interna. Há somente uma posição de encaixe, que está indicada em ambos os conectores.

Após encaixar, pressione o conector do cabo com os dois polegares, a fim de garantir o encaixe correto entre os conectores.


Siga a instalação utilizando quatro parafusos M4 x 8mm para fixar a unidade interna na base de fixação. Insira as pilhas no compartimento indicado. Feche o compartimento com a tampa. Pressione o botão de fechamento ou gire a manopla para acionar a lingueta. Utilize a lingueta como referência, feche a porta e posicione o batente. Por fim, gire a manopla retraindo a lingueta. Faça a marcação dos furos presentes na contracaixa e utilize dois parafusos Ø4,2 x 25mm no local marcado para fixar a contracaixa.


Após, você já poderá programar a fechadura. Lembrando que o manual de instruções deve ser sempre preservado. Isso porque há nele o passo a passo para registro de alteração de senha, de chaveiro por proximidade, como fazer a abertura ou o fechamento pelo lado de dentro ou de fora da porta, configurar os modos de bloqueio, usar senhas falsas para evitar exposição da combinação. 


É possível também controlar o volume, registrar ou excluir a senha mestra, além de configurar notificações de interferência da lingueta, substituição de pilhas e alertas sonoros de alta temperatura e quebra. 


Fechadura eletrônica: conheça os 5 benefícios principais



Além do visual mais moderno - e de ter um bom apelo para quem é fã das novas tecnologias -, as fechaduras eletrônicas tem algumas vantagens interessantes que devem ser levadas em consideração pelo usuário. São elas:


1. Adeus chaves: 


Quem nunca deixou as chaves da gaveta ou porta do armário penduradas no móvel para não esquecer ou perder deixando vulnerável a segurança do móvel? Esse talvez é o benefício principal da fechadura eletrônica, principalmente se considerarmos os modelos por biometria, aplicativo e senha. Não é preciso carregar chaves físicas e ter a preocupação de sempre checar se você “passou a chave”, já que ela é acionada automaticamente assim que a porta é fechada. 


Além disso, as fechaduras podem ser instaladas nas mais variadas gavetas como de: escrivaninhas, guarda-roupa, criado mudo, penteadeiras e portas de armários desde que sejam de madeira ou aço.


2. Fácil instalação: 


São compatíveis com aberturas de porta tanto para a esquerda, quanto para a direita. O modelo de furação segue o padrão brasileiro, ou seja: a instalação é superfácil. Já a aparência da fechadura, moderna e disponível nas cores branca, preta, grafite e acetinado, vai se adequar ao seu ambiente de forma discreta e contemporânea. 


Os diferentes modelos de fechadura eletrônica disponíveis no mercado são acompanhados de um manual de instruções prático, ilustrado e bastante eficiente. Nos modelos de fechadura eletrônica de sobrepor, por exemplo, o passo a passo é bastante didático, onde qualquer pessoa pode instalar e programar o produto. Mesmo assim, você pode optar por empresas que prestam o serviço de instalação. 


Lembrando que as fechaduras digitais devem ser instaladas somente em ambientes internos, não podem ser expostas à chuva/umidade ou exposição direta do sol.


3. Trava automaticamente: 


A maioria dos modelos de fechadura eletrônica tem trancamento automático quando a porta é fechada. Assim, a maçaneta do lado de fora fica sem função até que alguém a destrave novamente. Em contrapartida, as fechaduras não se trancam por dentro. Quando alguém abaixa a maçaneta por dentro da residência, todas as travas se abrem. 


Segundo especialistas, esse modelo segue normas americanas e europeias de segurança. Como as fechaduras tradicionais possuem miolo de chave por fora e por dentro, é possível trancar a porta pelo lado de dentro e perder a chave. Em caso de emergências, como um incêndio, é grande a chance de ficar trancado para dentro. Para quem tem crianças, a solução é incluir uma corrente ou um ferrolho com trancamento manual na parte superior da porta. 


4. Tem alarme de segurança: 


Outro ponto importante que deve ser levado em consideração, é o fato de que muitos dos modelos de fechaduras já vêm com sistema antiarrombamento incluso. Ou seja, caso o aparelho seja forçado ou violado, ela automaticamente irá disparar um alarme sonoro, o que até pode dispensar os tradicionais sistemas de segurança em alguns casos. 


Há também modelos com a função senha protegida, que dificulta que descubram as senhas pelas marcas de digitais deixadas no teclado da fechadura. E o sensor de fechamento automático, que faz o travamento automático da porta, importante mecanismo para quem costuma esquecer a porta aberta ou, até mesmo, para aqueles que estão sempre com as mãos ocupadas.


5. Não precisa de energia elétrica: 


A maioria das fechaduras eletrônicas funcionam à base de pilha ou bateria. É válido destacar que os mecanismos das fechaduras eletrônicas foram pensados para otimizar energia e uma pilha comum pode durar um longo período no aparelho. 


Um conjunto de pilhas alcalinas, por exemplo, podem suportar entre 4 mil e 5 mil aberturas - em uma média de cinco a oito aberturas diárias. 


Além disso, quando a vida útil da fonte de energia estiver próxima do fim, as fechaduras emitirão, com antecedência, avisos para que a pilha ou a bateria possam ser trocadas em tempo. Se, mesmo com os avisos, o usuário não trocar a bateria e a fonte de energia se esgotar, as fechaduras ainda podem ser abertas com uma chave comum única. 


Vale a pena ter uma fechadura eletrônica?


Com todos esses benefícios, ficou fácil entender as razões pelas quais esse tipo de fechadura é a melhor escolha para quem deseja aliar a tecnologia à segurança e ter total controle sobre quem tem acesso ao seu lar.


Mais modernos, os dispositivos apresentam várias vantagens, como a praticidade de não depender de chaves e os recursos de proteção. Além disso, é um passo importante na valorização do imóvel, que estará aliado ao que de melhor é produzido e pensado em questões de segurança. Também tornará a sua casa mais inteligentes, com conforto e mais praticidade. 


Gostou do nosso conteúdo? Clique aqui e saiba mais sobre nossas fechaduras digitais


Publicado por Soprano, dia 04/09/2020

Ficou com alguma dúvida?

Fale Conosco