Carregando

Carregando - Soprano

Cotação

0

Solicitação de Orçamento

Você adicionou um item à sua solicitação de orçamento:

Adicione itens para continuar.


Resumo da sua solicitação de orçamento


Qtd. Produto Código

Quase lá! Informe seus dados para finalizar a solicitação:


Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade e com os Termos de Uso

Sua solicitação foi enviada com sucesso!

Fique atento ao seu e-mail, em breve você receberá o retorno do seu orçamento.

Downloads

0

Meus downloads

Faça download dos arquivos selecionados.

Adicione itens para continuar.

Quase lá! Informe seus dados para finalizar a solicitação:


Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade e com os Termos de Uso.

Download concluído

Casa

Segurança e Proteção

Materiais elétricos: ajude seu cliente a criar uma lista de produtos essenciais

Tempo de leitura: 17 minutos

Um verdadeiro guia completo com todas as informações relevantes sobre os itens que compõem o sistema elétrico de uma casa, empresa ou apartamento e que podem te ajudar a vender mais e melhor.

 

Os materiais elétricos estão bastante presentes na nossa rotina. Muitas pessoas nem imaginam, mas o sistema elétrico de uma casa ou de uma empresa é muito mais do que um simples ato de acender ou apagar uma lâmpada ou conectar um equipamento na tomada. Somos totalmente dependentes da energia elétrica, desde as atividades mais simples até as mais complexas. Tudo passa pela eletricidade e, com isso, os materiais elétricos que fazem parte desse importante sistema conectam e energizam os equipamentos.


Você, que trabalha com venda de materiais elétricos, precisa conhecer mais sobre eles e suas características e funções para ajudar o cliente a sair da sua loja com todos os equipamentos que precisa para executar um projeto de reforma ou construção. Isso porque os materiais elétricos estão disponíveis em uma variedade de opções e é fundamental conhecê-las. Sendo assim, os consumidores têm procurado cada vez mais por consumíveis que atendam às suas necessidades e sejam de fácil aplicação.


Além disso, os materiais elétricos também são sinônimos de decoração, conforto e segurança nos ambientes, como lâmpadas, interruptores, entre outros. Nesse sentido, se o consumidor está atento ao que há de mais novo no mercado, você também precisa estar. Ainda, outros clientes poderão priorizar a economia, e você ajudará ele a pensar e avaliar o custo-benefício dessa escolha.


Pensando nisso, desenvolvemos esse conteúdo sobre materiais elétricos, explicando o que são e quais são as suas funções. Também montamos uma lista especial de produtos essenciais para cada ambiente da casa, e que certamente estarão na lista de compras do consumidor. Nela, temos produtos seja para uso doméstico ou para aquele que trabalha, de fato, com instalações elétricas, e precisam de materiais mais complexos para executar o trabalho com eficiência.


Dessa forma, esperamos ajudar você a conduzir uma venda direcionada e ajudando a movimentar o seu estoque de materiais elétricos.


Boa leitura!


O que são materiais elétricos?


Materiais elétricos são todos aqueles produtos e equipamentos que fazem com que a energia elétrica da rua seja recebida na casa de forma segura. Nessa lista, inclui-se fios, cabos, eletrodutos, disjuntores, tomadas, interruptores, lâmpadas, entre outras peças. Ou seja, em outras palavras, materiais elétricos são as peças que compõem os circuitos de energia elétrica do imóvel.


Portanto, é necessário investir em materiais que forneçam segurança e confiabilidade. Sem estes, os consumidores não teriam segurança para ligar um aparelho de televisão ou, então, ter a chance de tomar um banho quente ou ter uma geladeira para conservar os alimentos. Dessa forma, são produtos fundamentais para qualquer residência ou empresa e precisam ser estudados para saber quais são necessários para cada tipo de ambiente.


Todavia, mesmo tão presentes em nosso dia a dia, muitas pessoas desconhecem qual é o sistema por trás desses equipamentos. No entanto, saber mais sobre a variedade de materiais elétricos e suas funções será um diferencial na hora de reformar a casa. Quem sabe até mesmo quando for necessário fazer trocas – ou saber o que está acontecendo em caso de falta de energia.

 

Por isso, usar bons materiais elétricos junto com um bom projeto e mão de obra qualificada proporcionam funcionalidade, economia e segurança ao imóvel. Lembre isso ao seu cliente.


Sendo assim, os materiais elétricos podem ser divididos em três grupos conforme a sua função. São elas:


Condutores:


São os itens cuja característica é a sua elevada condutividade elétrica e que possibilitam a movimentação de cargas elétricas em seu interior com maior facilidade. Normalmente, estão presentes em ligas metálicas, filamentos de lâmpadas incandescentes ou materiais nobres, como o cobre.


Isolantes:


Isolantes são materiais que possuem uma quantidade muito pequena de elétrons livres, de modo que para que uma corrente elétrica os percorra, é necessária a aplicação de uma diferença de potencial extremamente elevada.


No geral, para tensões elétricas ordinárias (da ordem de algumas centenas de volts), nenhuma corrente elétrica consegue atravessar um material isolante. São exemplos de isolante elétricos: borracha, isopor, lã, madeira, plástico e papel, vácuo, vidro.


Semicondutores:


São os materiais que contam com uma resistência bastante moderada de condutividade. Dessa forma, possuem características elétricas intermediárias entre os materiais condutores e os isolantes.


Nesse sentido, são amplamente empregados pela indústria eletrônica na fabricação de componentes eletrônicos diversos, incluindo todos os circuitos integrados (CIs) e elementos discretos como diodos, transístores e sensores diversos.


Quais são os tipos de materiais elétricos


Agora que você já sabe o que é e quais as categorias dos materiais elétricos, é hora de saber detalhes de cada tipo desse equipamento. Vamos explicar o que cada um faz e suas características específicas. Ou seja, um verdadeiro guia de materiais elétricos!

Acompanhe:


Quadro medidor:


É conhecido popularmente como relógio de luz. A sua função é medir o consumo de energia elétrica em kWh. No Brasil, atualmente, existem dois tipos de medidores de energia elétrica: o eletrônico e o eletromecânico, sendo classificado em 2 fios, 3 fios e 4 fios conforme aplicação.


Dessa forma, o eletromecânico é a versão mais antiga e funciona por meio de indução eletromagnética. Por isso, ele possui um disco de metal que gira quando a eletricidade passa pelas bobinas, gerando um campo magnético. Isso permitirá que o disco gire quando a energia estiver sendo consumida. Assim, o movimento da engrenagem e dos ponteiros do medidor será possível. 


Já o eletrônico, como o nome sugere, funciona digitalmente. Portanto, é a versão mais moderna do quadro medidor. Algumas versões desse modelo tem um dispositivo que envia as informações sobre o consumo de energia diretamente para a concessionária. Dessa forma, elimina a necessidade de enviar um profissional para realizar a leitura do medidor em cada residência.


Disjuntores:


Trata-se de uma das partes mais importantes e técnicas do sistema. Sua principal função é atuar na proteção da instalação elétrica preservando os condutores. Dessa forma, dão mais segurança contra curto-circuito ou sobrecarga, interrompendo automaticamente o fornecimento de energia para evitar superaquecimento de fios, o que evita incêndios e outros tipos de danos.

 

Além disso, os modelos disponíveis no mercado se diferenciam conforme o sistema residencial (unipolar, bipolar e tripolar), tensão (127/220 ou 220/380 volts) e capacidade de corrente de 6 até 125 ampères nos modelos residenciais.

Dessa forma, o que determinará a escolha é o tipo de carga que será conectada. Se o cliente tiver um chuveiro com potência de 6.600W e mora em um local com voltagem 220, ele precisará de um disjuntor de, no mínimo, 30A para suprir com a necessidade dos equipamentos.


Isso porque a conta é a seguinte: 30Ax220V = 6.600W. Caso essa regra não seja respeitada, o disjuntor irá desarmar diversas vezes para evitar que seu sistema elétrico superaqueça e cause um incêndio. Contudo, vale lembrar que o cálculo para o dimensionamento de um disjuntor deve ser feito por um profissional legalmente habilitado para analisar todas as variáveis, bem como seus dimensionamentos.


Versões DIN e NEMA


Além disso, o produto está disponível na versão DIN (padrão europeu), que são mais rápidos e menores que a outra versão, chamada de NEMA (padrão norte-americano). Enquanto o modelo DIN protege contra curto-circuito e sobrecarga com dois elementos independentes, como a bobina de disparo e bimetal, o modelo NEMA, conhecido popularmente como disjuntor preto, oferece proteção apenas através do bimetal.


Dessa forma, os modelos DIN possuem uma resposta mais rápida em comparação aos NEMA, sendo muito utilizados em quadros residenciais, enquanto o NEMA é mais encontrado em instalações antigas e padrões de entrada em algumas concessionárias de energia. Ambos atendem as normas e são certificados INMETRO para o mercado até 63A, tendo suas aplicações específicas para cada tipo instalação.


Minidisjuntor


Também está disponível o minidisjuntor, com capacidade de interrupção 10kA de até 63A (com certificação compulsória INMETRO). É um modelo bastante utilizado em quadros de distribuição e padrões de entrada de energia. Além do mais, é ideal para locais que necessitem proteção contra sobrecarga e curto-circuito com alta capacidade de interrupção.

 

Quadros de distribuição:


Os quadros de distribuição são equipamentos destinados a receber e distribuir energia elétrica a uma edificação e também à proteção de circuitos elétricos contra sobrecargas e curtos. Esta proteção é feita por meio de disjuntores, com a inclusão de DRs e DPS.


Normalmente é formado por uma caixa de plástico instalada dentro do imóvel e onde estão colocados os barramentos, disjuntores e dispositivos responsáveis pela distribuição da energia elétrica. A energia da rua é enviada para os circuitos elétricos de cada cômodo da casa, como sala, cozinha, quartos, banheiros, entre outros.


Existem diversos modelos e tamanhos disponíveis no mercado. Você encontra quadros de distribuição de 4 até 48 disjuntores nas cores branca, opaca ou transparente. Além disso, os modelos também se diferenciam entre quadro de embutir na parede e quadros de sobrepor na parede.


Fios e cabos:


Apesar de estar escondido, eles são um dos materiais mais conhecidos do consumidor e bastante utilizados em qualquer projeto de construção ou reforma. Também conhecidos como condutores elétricos, os fios e cabos têm como função conduzir a eletricidade com proteção para a casa, empresa ou apartamento do seu cliente. Ou seja, são responsáveis por conduzir a eletricidade do poste padrão para o quadro de distribuição e, depois, do quatro para os pontos de uso, como interruptores e tomadas.


Sendo assim, o tamanho e a espessura do cabo dependerão da corrente elétrica dos equipamentos. Dessa forma, é importante que os fios e cabos sejam de qualidade, para evitar o risco de curtos. Eles se diferenciam também em número de condutores (simples ou múltiplos), diâmetro (quanto maior, mais capacidade de condução de energia), tensão máxima, cor da camada isolante ou resistência mecânica.

 

Eletrodutos:


São parceiros para reforçar ainda mais a proteção contra incêndios e choques. Geralmente, são formados por tubos feitos de plástico ou de metal, em formato rígido ou flexível. Eles protegem os fios e cabos do contato com a umidade, substâncias químicas e choques mecânicos, entre outros tipos de danos.


Nesse sentido, os eletrodutos flexíveis de PVC são chamados popularmente de conduites. Por serem práticos, de fácil instalação e baixo custo, são os mais utilizados em projetos residenciais e comerciais. Os diâmetros iniciam em 16mm e vão até 32mm. Ainda, sua utilização é feita embutida na alvenaria e finalizada com argamassa. O produto está disponível no mercado nas cores amarelo (para alvenaria) ou laranja para laje.


Além desse, há a versão rígida de PVC, que também são resistentes e com durabilidade reconhecida. Esse modelo é encontrado na cor preta e tem as pontas roscáveis. Por fim, possui diferença nos diâmetros, que variam de ½” até 4”.


Interruptores:


É um dispositivo que é acionado pelo toque dos dedos, modificando a sua posição de comutação. Como o próprio nome sugere, a principal função de um interruptor é bloquear a passagem da energia elétrica de um ponto ao outro. Por isso, o dispositivo atua ligando ou desligando determinado circuito elétrico - permitindo ou não a circulação de energia elétrica.


Normalmente, é utilizado nas versões simples, paralelo e intermediário. O interruptor simples é o modelo mais frequente e formado por um único botão apenas. É indicado para o acionamento de uma lâmpada em uma única posição. De longe, é o interruptor mais usado por ser, barato e prático de usar.


Já o interruptor paralelo, também é chamado de chave hotel ou three way, permite que uma lâmpada ou um conjunto de lâmpadas seja ligada ou desligada a partir de dois pontos de interruptores e não apenas de um.

Também há o interruptor intermediário, conhecido ainda como four way. Sempre está instalado entre dois interruptores paralelos, porque intermedeiam a conexão principal. Por último, possibilita o acionamento em três ou mais locais diferentes;


Tomadas:


Diante da necessidade cada vez mais frequente para carregar celulares, baterias ou ligar televisores ou computadores, por exemplo, as tomadas ganharam ainda mais relevância em todos os ambientes.


Elas são definidas como um produto que permite a ligação dos equipamentos elétricos e estão constantemente energizadas. Portanto, em locais onde há crianças, a recomendação é usar protetores para que o risco de acidentes seja reduzido a zero.


Além disso, as tomadas variam conforme capacidade de corrente. No Brasil, portanto, o padrão é o tipo N, com três pinos redondos. Eles são utilizados em aparelhos que precisam de aterramento elétrico. Nesse sentido, o terceiro pino faz essa ligação com o fio terra, evitando choques e possíveis curtos. Outra vantagem do padrão estabelecido é o formato “em poço” das tomadas. Isso dificulta o contato dos dedos com a corrente elétrica. Ou seja, mais proteção para você e para o consumidor.


Lâmpadas:


O que muita gente não sabe é que as lâmpadas também são consideradas como um material elétrico. Elas são dispositivos responsáveis por transformar a energia elétrica em luz. Na hora de comprar, o consumidor deverá levar em conta a potência e luminosidade, o tipo – se será de LED ou fluorescente, por exemplo – e até seu formato.


Além disso, é preciso considerar qual a tensão (110V ou 220V), potência (6 a 65 watts), tamanho da base (E-10 até E-40) e temperatura Kelvin (2700K até 6500K). Neste caso, quanto mais alta for a temperatura Kelvin, mais clara é a luz da lâmpada. No mesmo modo, quanto mais baixa, mais amarelada é a luz.


Isso deve ser levado em conta porque a intensidade da luz é um fator fundamental para o bem-estar e melhor utilização dos cômodos. Luz amarelada pode ser indicada para salas e quartos, enquanto a luz branca é fundamental para ambientes de concentração, como escritórios, locais de trabalho ou salas de estudo.


Leia também: Quer clientes satisfeitos? Tenha em sua loja a linha de tomadas e interruptores

da Soprano

Conheça as vantagens de tomadas e interruptores modulares

 

Lista de materiais elétricos essenciais para seu cliente


Uma reforma ou construção precisa de materiais elétricos essenciais. Por isso, separamos um checklist por cômodos de quais itens são fundamentais e não podem ser esquecidos, tanto para aquele cliente que quer fazer o uso doméstico, quanto daquele que trabalha, de fato, com instalações elétricas, e precisa de materiais mais complexos.


Garagens:


Uma boa garagem precisa ser bem iluminada. Por isso, a dica é usar lâmpadas LED. Sensores de presença também são materiais importantes para esse ambiente porque ajudam a evitar problemas com pessoas que esquecem a luz acesa e que, por consequência, impactam na conta de luz do condomínio. Por fim, um quadro de distribuição também precisa ser instalado nesse ambiente.


Hall e corredores:


Por ser um local coletivo, também necessita de lâmpadas LED, sensores de presença e um quadro próprio de distribuição. Além disso, a dica é usar um quadro VDI, que abrigará e centralizará as fiações e dispositivos das instalações de telefone (voz), rede (dados) e TV (imagem) em um único ponto. Importante não esquecer dos interruptores e tomadas.


Áreas comuns:


Locais como piscina, salão de festas e outros ambientes externos também precisam de um quadro de distribuição. Outra dica é instalar disjuntores, interruptores e tomadas, lâmpadas LED e contatores. Este último é responsável por realizar o acionamento de cargas trifásicas a partir de um acionamento monofásico, realizando a comutação de sinais completamente isolados entre si.


Casa ou apartamento:


Dentro de casa, interruptores e tomadas não podem faltar. Interruptores simples podem ser instalados em ambientes menores, cozinhas e banheiros, enquanto a versão paralela é indicada para locais maiores, como sala e quarto, que necessitam de dois acessos. Além do mais, o quadro de distribuição precisa ter disjuntores (para proteção da instalação), DPS – Classe II (proteção dos equipamentos), DR (proteção das pessoas) e outros acessórios.


Já as tomadas precisam ser 10A ou 20A. Para os eletrônicos, é indicado também que o ambiente precise de cabo RJ45 (para internet) e cabo coaxial (para TV).


Acessórios para quadros de distribuição


Também é fundamental levar em conta os acessórios para os quadros de distribuição, pois eles ajudam ainda mais na proteção, como o caso do barramento neutro/terra. Isso porque todos os quadros, obrigatoriamente, precisam do condutor de proteção (terra), ou seja, um barramento será obrigatório. Sempre que haverá DR, deverá ter um barramento neutro terra para ele.


Outros acessórios são pente fase (facilita a interligação dos dispositivos de proteção no quadro de distribuição) e isoladores. Além disso, todos os quadros devem ter um espaço reserva, onde poderá ser deixado o pente com a proteção dos isoladores.


Também é importante considerar um terminal tubular, que melhora a conexão entre o cabo e os dispositivos de proteção. Além disso, evita curtos-circuitos devido aos fios de cobre não estarem bem conectados.


um conector genérico facilita a conexão entre o pente fase e cabos. Enquanto isso, obturadores podem ser utilizados nos espaços vazios no quadro



Checklist de materiais elétricos: confira


Disjuntores Caixa Moldada

Minidisjuntores

DPS

Sensor de presença

Lâmpadas LED

Quadros de distribuição

Chave boia

Contator

Relé térmico

Botoeiras e sinalizadores

Quadro VDI

Interruptores e tomadas

DR

Barramento neutro

Barramento terra

Pente fase

Isolador para pente fase

Terminais tubulares

Conector genérico

Obturadores

Fitas isolantes

Caixas multiuso

 

Dicas para armazenar materiais elétricos com segurança


Agora que você já sabe tudo sobre materiais elétricos, é hora de ajudar o seu cliente a armazenar os seus materiais elétricos com segurança. Essa etapa é importante porque ajuda a evitar prejuízo com produtos danificados e que talvez precisem ser descartados. Confira nossas dicas abaixo:


- Mantenha os materiais nas suas embalagens originais até o momento do uso, principalmente as lâmpadas, que são frágeis;


- Separe os produtos por tipo de material;


- Certifique-se de sempre armazenar os produtos em locais secos, longe dos raios solares, da umidade e de produtos químicos;


- No caso dos fios e cabos elétricos, é fundamental que não seja colocado peso sobre eles, pois pode amassá-los e, assim, interferir na qualidade do produto.


Solução completa em materiais elétricos


A Soprano tem a solução completa em materiais elétricos. A empresa possui um mix de produtos com materiais de confiança para uso industrial e residencial, como minidisjuntores, DPS, DR, interruptores, quadros e plugues.


Com mais de 65 anos de história, a empresa comercializa uma ampla linha de produtos através de sete unidades de negócios: Fechaduras e Ferragens, Materiais Elétricos, Utilidades Térmicas, Componentes para Móveis, México e Centro América.


São milhares de itens produzidos para atender os mercados de construção civil, materiais elétricos, moveleiro e utilidades domésticas.


Acesse o nosso catálogo e saiba mais.


Está precisando de ajuda para organizar o seu estoque de produtos elétricos?

A gente ajuda: é só conferir as nossas dicas imperdíveis clicando aqui!




Publicado por Soprano, dia 10/12/2020

Ficou com alguma dúvida?

Fale Conosco

Fique por dentro

Receba nossas newsletters com novidades e promoções!

Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade e com os Termos de Uso.